jump to navigation

Ano novo, escolhas novas. Janeiro 6, 2014

Posted by efeitopsicose in 1º semestre, Dose de inspiração, choque de realidade..
Tags: , , , , ,
add a comment

Oi! 😀 Pulando a parte em que eu desejo boas festas (atrasada!) e etc, eu só espero que tenham tido melhores festas que as minhas. HEHEEHEH (já que pra variar, meu namorado viajou pra Disney e não teve como eu ir) (passei o Natal aturando uma prima chata e inconveniente, mesmo eu tendo falado que ia “sair”) (eu fiquei sozinha) (e no Reveillón levei cantadas de alguns velhos tarados que não tem “condições” nem com Viagra) (minha avó ficou internada) (2013 foi o ano do meu carma) (ah, enfim).

Bom, pra começar: FELIZ 2014 heeheheheh senti a necessidade de fazer o primeiro post daqui ainda no mês de Janeiro, pra manter o costume (como se eu estivesse sempre por aqui haha). Então, farei um breve resumo do que passei em 2013 e do que desejo do fundo do meu coração em 2014.
Já disse em um dos posts anteriores  que fiquei doente e desisti do curso por questões pessoais e tal, e que queria um tempo pra pensar no que decidiria pro meu futuro. A verdade é que depois que se passaram dois meses e meio, eu ainda continuo um pouco perdida. Como eu gosto de escrever, já pensei em fazer Letras, mas não tenho paciência com gente sem educação e sou um pouco estourada (muito embora muita gente diga que sou uma ótima “professora” e sei explicar bem) e acho que não tem muito sentido fazer Letras SÓ pra ser escritora. Então, deixa a minha escrita como hobby mesmo.

Depois, como gosto de estar por dentro da Política, também pensei em Direito. E essa continua sendo a melhor opção, já que ainda não achei “contras” sobre a minha própria perspectiva. Prestar concurso pra Polícia também já me passou pela cabeça, mas aí me lembrei que meu tamanho não é muito favorável e fui obrigada a descartar.

E por último, dentro da área da saúde, que é a minha verdadeira paixão <3333 tem Psicologia. Eu sei (e provavelmente quem ler isso vai falar também) que a quantidade de psicólogos que se formam a cada ano, é devastadora e que a cada esquina, encontramos um psicólogo, mas como é uma área pela qual eu partiria caso realmente fizesse Medicina, por que não tentar!? Já andei fazendo umas contas de quanto eu ganharia em média por x horas trabalhadas + o local, e me dei conta de que (como qualquer outra profissão), se você for bom, o mundo vai conspirar ao seu favor! E eu ainda estou pensando seriamente nisso. A questão é que eu não me imaginava fazendo outra coisa além de exercer a Medicina, por isso agora está tão difícil decidir qual caminho seguir.

Quando desisti, minha família só faltou me bater. Eu dediquei parte do meu ensino fundamental e meu ensino médio todo pra “nada” (não que estudo não seja bom, mas eu tinha um único objetivo) e confesso que eu também fiquei puta da vida comigo mesma. “Desistir logo no começo!? Tão nova, tão cheia de sonhos, com uma vida inteira pela frente, saudável…” “Mas se eu não aguentei na Enfermagem, acha que vou aguentar na Medicina!?” “Não aguentou o escambau, para de falar isso“… e tantas outras conversas comigo mesma. Era como se eu tivesse um alter-ego: parte minha falava, e a outra parte respondia. E esse era o meu cérebro fazendo uma análise dos prós e contras da Medicina e de qualquer outra profissão que eu possa escolher.

Até que eu um dia eu ouvi que todas as minhas primeiras vezes serão difíceis e o meu maior erro vai ser se eu desistir de todas elas na primeira tentativa. E agora que eu me recuperei totalmente e depois desse tempo, entrei pela primeira vez no hospital onde tudo começou, me bateu uma saudade absurda de tudo o que vivi e de tudo o que aprendi lá. Aprendi a ser mais humana, aprendi a ter compaixão… aprendi a dar valor na vida e parei de reclamar do meu corpo, da minha vida, quando vi o que é sofrimento de verdade. Eu não me arrependo de ter trancado a minha matrícula no curso e não penso de jeito nenhum em voltar, mas me deu saudade. Um aperto no peito tão sufocante, que quando saí de lá, me deu vontade de ligar pra todas as meninas que eram do meu grupo e mandar um super beijo pra minha (adoravelmente adorável) professora que me supervisionava no estágio naquela fatídica tarde de terça feira, 15 de outubro. Como disse no começo, 2013 foi o ano do meu carma, perdi muita coisa boa e me livrei das ruins, mas foi o ano que mais aprendi nesses 18 anos de existência. E pra 2014, desejo que venham mais aprendizados. Voltei a escrever minhas fics (que saudade <3), farei um ano de namoro (!!!!!) em abril, começarei um cursinho pré-vestibular, TERMINEI O ENSINO MÉDIO!!!!!!!!!! e terei até o fim do ano pra decidir minha vida. Enfim, acho que 2014 será melhor, porque é um ano par. Rs.

Hello, November! Novembro 8, 2013

Posted by efeitopsicose in Dose de inspiração, choque de realidade..
Tags:
add a comment
Mais um mês se vai, levando consigo todas as mágoas e dores e deixando suas cicatrizes.
Outubro foi o mês mais longo do ano: conheci o fundo do poço, sofri, perdi, abri mão de uma das coisas mais importantes da minha vida… mas em meio ao caos, aprendi.
Penso que nada acontece por acaso: a vida te derruba pra você se levantar mais forte, pensar melhor sobre suas escolhas, ter certeza sobre o seu futuro e, principalmente, pra te ensinar que não existe felicidade e realização sem o mínimo de esforço.
Agora, me recuperando do tombo, consigo pensar mais sobre o que farei do meu futuro (que não está mais tão distante quanto eu pensava, a vida tratou de me tacar isso na cara) e como replanejar tudo o que tinha feito antes. Não é fácil quando tudo o que se vê é um grande borrão à sua frente, mas acredito que apesar de, praticamente o mês inteiro ter sido ruim, o fato de eu não ter feito planos para Outubro fez com que eu me surpreendesse com as (poucas) coisas boas que aconteceram (a principal delas foi ter feito as pazes com meu papis).
Enfim, estou me reerguendo e tentando achar a luz no fim do túnel.
E que Novembro me traga toda a felicidade (e certezas!) que Outubro me tirou!

Ausência: Sete meses em off. Outubro 29, 2013

Posted by efeitopsicose in 2° semestre.
Tags: , , , , ,
2 comments

Olá miguxxos! 

Finalmente, depois de meio ano sem postar, resolvi dar às caras de novo.
Resolvi voltar, porque senti falta de contar (nem que for pra mim mesma) como é estar passando por tudo (e posso dizer com absoluta certeza, que esse foi um longo ano)…  Enfim, vou resumir em poucas palavras uma boa parte do que aconteceu durante esse tempo em que estive off, só pra dar uma atualizada mesmo.

Bom, vamos começar pelos estudos :
Essa não é uma das melhores partes, rsrs. Mais uma vez eu deixei tudo a desejar e não acabei me empenhando muito bem na escola. Como eu já disse antes, faço curso técnico de Enfermagem https://i2.wp.com/media.tumblr.com/tumblr_lm6r8zwgnr1qfoi4t.gif , e esse ano acabou atrapalhando um pouco os estudos da minha escola (não é fácil conciliar ensino médio + técnico e os trabalhos e as responsabilidades de ambos e etc).
Eu levei o E.M do jeito que eu achei que tinha que levar e, como já era de se esperar, fui melhor em um do que em outro. É claro que eu nunca deixei de ter as matérias em dia e estudar quando achava necessário, só não fiz durante esse ano do jeito que fazia antes. Eu adorei o curso, me fez crescer e enxergar o mundo com outros olhos, me fez ser mais humilde e apesar dos pesares, até me fez ter um pouco de esperança na humanidade.
Mas… como nem tudo é como a gente quer, acabou acontecendo alguns imprevistos que não entrava pra lista de coisas que podiam acontecer durante o curso.
Em um belo dia ensolarado e de muito calor, em meio ao estágio no Pronto Socorro aqui do principal hospital da cidade, eu acabei desmaiando. E não, eu não tinha me impressionado com nada porque eu já tinha acostumado com muita coisa “feia” que vi (e tive que fazer!) em outros hospitais. Eu simplesmente não me senti bem, saí da sala onde estava e desmaiei no meio do corredor. Como eu tenho alguns problemas com comida e pressão baixa, nesse dia eu comi muito pouco (ou quase nada) na hora do almoço, então pode ter sido (pode não, com certeza foi!) uma queda de pressão. Estava muito calor, eu estava num espaço muito pequeno com muita coisa em volta e pouca circulação de oxigênio. As meninas me levaram pra sala de Urgência numa maca e lá eu fiquei (não preciso nem dizer que eu quase matei minha professora de susto) (Alice, fico te devendo uma caixa de tinta loira, um beijo  ). O residente que apareceu lá pra me ver, me explicou o que podia ter acontecido e eu concordei com tudo o que ele disse. Enfim…
No outro dia, eu acabei ficando doente de verdade e tendo que ir pro hospital tomar soro (e que provavelmente, foi o principal motivo do meu desmaio do dia anterior). Minha mãe achou que, como eu já estava com a resistência baixa, algum vírus que circulava pelo hospital, podia ter se hospedado em mim, me deixando fraca e sem vontade de comer. Minha garganta fechou, nada passava, nem água.
Enfim, ficou nisso durante uma semana e quando eu consegui levantar da cama, decidi que não terminaria o curso. Minha mãe não se manifestou, apenas concordou e disse que me apoiaria no que eu quisesse.
Fui lá na escola, conversei com a coordenadora do curso e resolvi trancar minha matrícula. Eu ainda não acredito que esperei tanto por esse curso pra acabar desse jeito, mas eu precisava de um tempo só pra mim, um tempo pra respirar, um tempo pra pensar. Depois disso, todos os meus planos mudaram, porque eu não sei mais se Medicina é pra mim!
Eu jamais vou deixar de amar a Medicina e a Enfermagem, mas temo que seja uma escolha errada. Eu não quero ter que passar por tratamento psicológico por causa dos estudos, pra no fim, descobrir que não é isso que quero pra minha vida. Eu estou completamente indecisa e perdida, mas sinto que vou encontrar o caminho certo.

Agora vamos falar da minha vida pessoal :
Foi um verdadeiro furacão de emoções! Eu comecei a namorar e senti que todas as emoções de quando eu tinha 13 anos e sofria por um amor platônico, voltaram!
Quando a gente tem 13 anos e tá descobrindo as delícias da vida, tudo se torna tão intenso, que até o sofrimento se torna prazeroso. E não que meu namoro seja sofrido, mas é tudo muito intenso. Eu senti falta disso tudo e consegui encontrar uma pessoa bacana que correspondesse às minhas expectativas.
É tudo colorido: cada palavra, sentimento, toque, sensação…. parece coisa de pré-adolescente e eu, que achava isso completamente cafona, acabei me envolvendo nesse tipo de situação e estou amando!
Nós fazemos planos pro futuro (ele já está terminando a faculdade de programação) e um apóia o outro em qualquer que seja a situação.
Enfim, acho que voltei pra minha adolescência (depois dela já ter acabado, rs) e estou amando reviver tudo o que um dia eu vivi e que, quando acabou, achei que se houvesse a possibilidade de acontecer novamente, que seria em um futuro muito distante.
E como sempre, eu estava errada.

É só isso. Acho que todos nós um dia, passaremos por situações de indecisão e a lei da vida é: quando você estiver realizada (o) em um objetivo, você será frustrada (o) em outro. 

Males que vêm para o bem: a importância de se desistir de “certas coisas”. Janeiro 29, 2013

Posted by efeitopsicose in Dose de inspiração, choque de realidade..
Tags: , , ,
add a comment

04/01/2013. ~atualizando o blog~

Já devo ter comentado que adoro me arriscar. E da minha notável baixa autoestima. E do curso. E da ansiedade. Enfim… eu desisti de outro curso que peguei em segundo lugar como bolsista – espero que as coisas continuem assim até o final do ano- em uma escola técnica privada.
Como já disse antes, estou ansiosa pro resultado da ETEC – que é onde eu realmente quero-  e resolvi me inscrever nesse outro curso, caso eu não passe nela. Mas não quis mais, desisti. Aqui estou eu arriscando mais uma vez. Se eu não passar na ETEC, serão dois cursos perdidos e eu me culparei eternamente por isso. Meu namorado me disse que não devo pensar como uma “perda” e sim como um aprendizado, pois terei mais tempo para estudar.
Até concordo com ele, mas ainda me acharia estúpida por desistir de um sem saber se o outro vai dar certo.
PORTANTO, eu realmente espero que desta vez, a Dona Sorte não me abandone, pois meu sonho de ser médica continua aqui com ou sem cursinho E EU MEREÇO PASSAR NO VESTIBULAR!!!

porque sim.